Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Cosmic microwave background anisotropies generated by domain wall networks

L. Sousa, P. P. Avelino

Resumo
We develop a numerical tool for the fast computation of the temperature and polarization power spectra generated by domain wall networks, by extending the publicly available cmbact code—which calculates the cosmic microwave background signatures generated by active sources—to also describe domain wall networks. In order to achieve this, we adapt the unconnected segment model for cosmic strings to also describe domain wall networks, and use it to model the energy-momentum contribution of domain wall networks throughout their cosmological history. We use this new tool to compute and study the TT, EE, TE and BB power spectra generated by standard domain wall networks, and derive a conservative constraint on the energy scale of the domain wall-forming phase transition of η<0.92MeV (which is a slight improvement over the original Zel’dovich bound of 1 MeV).

Palavras chave
Particle-theory and field-theory models of the early Universe, Extended classical solutions, cosmic strings domain walls texture

Physical Review D
Volume 92, Página 083520
outubro 2015

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA