Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Constraining the evolution of the CMB temperature with SZ measurements from Planck data

G. Luzzi, R. T. Génova-Santos, C. J. A. P. Martins, M. de Petris, L Lamagna

Resumo
The CMB temperature-redshift relation, TCMB(z)=T0(1+z), is a key prediction of the standard cosmology but is violated in many non-standard models. Constraining possible deviations from this law is an effective way to test the ΛCDM paradigm and to search for hints of new physics. We have determined TCMB(z), with a precision up to 3%, for a subsample (103 clusters) of the Planck SZ cluster catalog, at redshifts in the range 0.01–0.94, using measurements of the spectrum of the Sunyaev-Zel'dovich (SZ) effect obtained from Planck temperature maps at frequencies from 70 to 353 GHz. The method adopted to provide individual determinations of TCMB(z) at cluster redshift relies on the use of SZ intensity change, Δ ISZ(ν) at different frequencies and on a Monte Carlo Markov chain approach. By applying this method to the sample of 103 clusters, we limit possible deviations of the form TCMB(z)=T0(1+z)1−β to be β= 0.012 ± 0.016, at 1σ uncertainty, consistent with the prediction of the standard model. Combining these measurements with previously published results, we get β=0.013±0.011.

Journal of Cosmology and Astroparticle Physics
Volume 09, Página 011
setembro 2015

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA