Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

WASP-92b, WASP-93b and WASP-118b: three new transiting close-in giant planets

K. L. Hay, A. Collier Cameron, A. P. Doyle, G. Hébrard, I. Skillen, D. R. Anderson, S. C. C. Barros, D. Brown, F. Bouchy, R. Busuttil, P. Delorme, L. Delrez, O. Demangeon, R. F. Díaz, M. Gillon, Y. Gómez Maqueo Chew, E. Gonzàlez, C. Hellier, S. Holmes, J. F. Jarvis, E. Jehin, Y. C. Joshi, U. Kolb, M. Lendl, P. F. L. Maxted, J. McCormac, G. R. M. Miller, A. Mortier, E. Pallé, D. Pollacco, J. Prieto-Arranz, D. Queloz, D. Ségransan, E. Simpson, B. Smalley, J. Southworth, A. H. M. J. Triaud, O. Turner, S. Udry, M. Vanhuysse, R. G. West, P. A. Wilson

Resumo
We present the discovery of three new transiting giant planets, first detected with the WASP telescopes, and establish their planetary nature with follow up spectroscopy and ground-based photometric light curves. WASP-92 is an F7 star, with a moderately inflated planet orbiting with a period of 2.17 d, which has Rp = 1.461 ± 0.077RJ and Mp = 0.805 ± 0.068MJ. WASP-93b orbits its F4 host star every 2.73 d and has Rp = 1.597 ± 0.077RJ and Mp = 1.47 ± 0.029MJ. WASP-118b also has a hot host star (F6) and is moderately inflated, where Rp = 1.440 ± 0.036RJ and Mp = 0.514 ± 0.020MJ and the planet has an orbital period of 4.05 d. They are bright targets (V = 13.18, 10.97 and 11.07, respectively) ideal for further characterization work, particularly WASP-118b, which is being observed by K2 as part of campaign 8. The WASP-93 system has sufficient angular momentum to be tidally migrating outwards if the system is near spin-orbit alignment, which is divergent from the tidal behaviour of the majority of hot Jupiters discovered.

Palavras chave
techniques: photometric, techniques: radial velocities, planets and satellites: detection, planet-star interactions, planetary systems

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 463, Página 3276
agosto 2016

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA