Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

On the width of the theoretical lower main sequence.
Consequences for the determination of the ΔY/ΔZ ratio in the solar neighbourhood.

J. M. Fernandes, Y. Lebreton, A. Baglin

Resumo
We discuss the relation between the main sequence thickness and chemical composition variations. With the help of theoretical zero-age main sequence models between 0.7 and 1.0Msun, computed with an advanced physical description of the stellar interiors, in a range of metallicities typical from Population I stars (0.008<=Z<=0.034), we establish a theoretical relation between the relative helium to metal enrichment, ΔY/ΔZ, and the main-sequence broadening, represented in this work by ΔMbol. The locus in the Hertzsprung-Russell diagram of 69 low mass stars closer than 25pc is analyzed, taking into account the present available metallicities for 25 of them. Models show that ΔY/ΔZ should be higher than 2.0 in the solar neighbourhood to account for the observational main sequence width. As a consequence an helium abundance lower limit of Y=0.246 is found in the solar neighbourhood. This value is presently loosely constrained by the observational uncertainties. A new step towards the ΔY/ΔZ determination is expected in the very near future, when accurate values of the stellar luminosities as determined by Hipparcos will permit more definite conclusions.

Astronomy and Astrophysics
Volume 311, Página 127
julho 1996

>> PDF>> ADS

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA