Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Refined parameters and spectroscopic transit of the super-massive planet HD 147506b

B. Loeillet, A. Shporer, F. Bouchy, F. Pont, T. Mazeh, J.-L. Beuzit, I. Boisse, X. Bonfils, R. da Silva, X. Delfosse, M. Desort, A. Ecuvillon, T. Forveille, F. Galland, A. Gallenne, G. Hébrard, A.-M. Lagrange, C. Lovis, M. Mayor, C. Moutou, F. Pepe, C. Perrier, D. Queloz, D. Ségransan, J.-P. Sivan, N. C. Santos, Y. Tsodikovich, S. Udry, A. Vidal-Madjar

Resumo
In this paper we report a refined determination of the orbital parameters and the detection of the Rossiter-McLaughlin effect of the recently discovered transiting exoplanet HAT-P-2b. The large orbital eccentricity and short orbital period of this exoplanet are unexpected and distinguish it from other known transiting exoplanets. We performed high precision radial velocity spectroscopic observations of HD147506 (HAT-P-2) with the new SOPHIE spectrograph, mounted on the 1.93 m telescope at OHP.We obtained 63 new measurements, including 35 on May 14th and 20 on June 11th, at nights that the planet was transiting its star. The RV anomaly observed illustrates that HAT-P-2b orbital motion is set in the same direction as its parent star spin. The sky-projected angle between the normal of the orbital plane and the stellar spin axis, λ = 0.0 ± 9.2◦, is consistent with zero. The planetary and stellar radii were re-determined: Rp = 0.952+0.020 −0.027 RJup, Rs = 1.412+0.029 −0.040 R⊙. The refined values of HAT-P-2b radius and mass (Mp = 8.64+0.29 −0.44 MJup) indicate a density of 12.41+0.42 −0.65 g cm−3, suggesting an object in between the known close-in planets with typical density of the order of 1 g cm−3, and the very low-mass stars, with density greater than 50 g cm−3.

Astronomy and Astrophysics
Volume 481, Página 529
abril 2008

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA