Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Extended wind in jetless classical T Tauri star TW Hya

R. Azevedo, D. F. M. Folha, J. F. Gameiro, N. Calvet

Resumo
We have conducted a spectro-astrometric (SA) analysis of high spectral resolution
data of the near infrared HeI 10830°A and Pa lines in the nearby classical T Tauri star TW Hya. We find clear position offsets associated to the blueshifted absorption part of the HeI 10830°A P Cygni profile. The derived spatial feature extend up to 50 mas (2.8AU at TW Hya distance) in two opposite directions. By using simple exploratory models we show that this feature can not be produced by the same stellar wind which produces the P Cygni profile. Instead, we are able to reproduce the observed blueshifted SA profile with emission from a disk wind.The production of SA artifacts through instrumental effects was examined. Artifact models have difficulties in fitting both the PSF and the angular scale of the observed position spectra offsets, suggesting that the signal may be real.

The Astrophysical Journal
Volume 670, Página 1234
dezembro 2007

>> PDF

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA