Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

On mode conversion and wave reflection in magnetic Ap stars

S. G. Sousa, M. S. Cunha

Resumo
We investigate the effect of a strong large scale magnetic field on the reflection of high frequency acoustic modes in rapidly oscillating Ap stars. To that end we consider a toy model composed of an isothermal atmosphere matched onto a polytropic interior and determine the numerical solution to the set of ideal magneto-hydrodynamic equations in a local plane-parallel approximation with constant gravity. Using the numerical solution in combination with approximate analytical solutions that are valid in the limits where the magnetic and acoustic components are decoupled, we calculate the relative fraction of energy flux that is carried away in each oscillation cycle by running acoustic waves in the atmosphere and running magnetic waves in the interior.
For oscillation frequencies above the acoustic cutoff we show that most energy losses associated with the presence of running waves occur in regions where the magnetic field is close to vertical. Moreover, by considering the depth dependence of the energy associated with the magnetic component of the wave in the atmosphere we show that a fraction of the wave energy is kept in the oscillation every cycle. For frequencies above the acoustic cutoff frequency such energy is concentrated in regions where the magnetic field is significantly inclined in relation to the local vertical. Even though our calculations were aimed at studying oscillations with frequencies above the acoustic cutoff frequency, based on our results we discuss what results may be expected for oscillations of lower frequency.

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 386, Página 531
abril 2008

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA