Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

The fundamental parameters of the roAp star α Circini

H. Bruntt, J. R. North, M. S. Cunha, I. M. Brandão, V. G. Elkin, D. W. Kurtz, C. J. Davis, T. R. Bedding, A. Jacob, S. M. Owens, J. G. Robertson, W. J. Tango, J. F. Gameiro, M. J. Ireland, P. G. Tuthill

Resumo
We have used the Sydney University Stellar Interferometer (SUSI) to measure the angular diameter of alpha Cir. This is the first detailed interferometric study of a rapidly oscillating A (roAp) star, alphaCir being the brightest member of its class.We used the new and more accurate Hipparcos parallax to determine the radius to be 1.967 ± 0.066R⊙. We have constrained the bolometric flux from calibrated spectra to determine an effective temperature of 7420±170K. This is the first direct determination of the temperature of an roAp star. Our temperature is at the low end of previous estimates, which span over 1000 K and were based on either photometric indices or spectroscopic methods. In addition, we have analysed two high-quality spectra of alpha Cir, obtained at different rotational phases and we find evidence for the presence of spots. In both spectra we find nearly solar abundances of C, O, Si, Ca and Fe, high abundance of Cr and Mn, while Co, Y, Nd and Eu are overabundant by about 1 dex. The results reported here provide important observational constraints for future studies of the atmospheric structure and pulsation of alpha Cir.

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 386, Página 2039
junho 2008

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA