Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Constraints on the CMB temperature-redshift dependence from SZ and distance measurements

A. Avgoustidis, G. Luzzi, C. J. A. P. Martins, A. M. R. V. L. Monteiro

Resumo
The relation between redshift and the CMB temperature, TCMB(z) = T0(1 + z) is a key prediction of standard cosmology, but is violated in many non-standard models. Constraining possible deviations to this law is an effective way to test the ΛCDM paradigm and search for hints of new physics. We present state-of-the-art constraints, using both direct and indirect measurements. In particular, we point out that in models where photons can be created or destroyed, not only does the temperature-redshift relation change, but so does the distance duality relation, and these departures from the standard behaviour are related, providing us with an opportunity to improve constraints. We show that current datasets limit possible deviations of the form TCMB(z) = T0(1+z)1-β to be β = 0.004±0.016 up to a redshift z ∼ 3. We also discuss how, with the next generation of space and ground-based experiments, these constraints can be improved by more than one order of magnitude.

Palavras chave
cosmology of theories beyond the SM, high redshift galaxies, Sunyaev-Zeldovich e ffect, baryon acoustic oscillations

Journal of Cosmology and Astroparticle Physics
Volume 2012, Página 013_1
fevereiro 2012

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA