Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Abundance analysis of four members of the metal-rich open cluster NGC 6253

M. Montalto, N. C. Santos, S. Villanova, G. Pace, G. Piotto, S. Desidera, F. De Marchi, L. Pasquini, I. Saviane

Resumo
We report on VLT/UVES high-resolution spectra of four members of the old metal-rich open cluster NGC 6253: a main-sequence star, two red-clump stars and a blue straggler. We performed equivalent width analysis and derived Fe, Si, Ca, Ti, Cr and Ni abundances as well as abundance ratios. For our main-sequence star, we obtained a metallicity of [Fe/H] = +0.26±0.11 (rms), whereas for the two giants we found that our metallicities are on average +0.19±0.13 (rms), lower than what was determined for the same stars in previous studies. We also found that, within the uncertainties, the abundance ratios of a and iron-peak elements match those in the solar surroundings, with the possible exception of Si in two giant stars in our sample.

Palavras chave
techniques: spectroscopic – stars: abundances – open clusters and associations: individual: NGC 6253

Notas
Based on observations collected at the European Organization for Astronomical Research in the Southern Hemisphere (ESO) in Paranal during programme 381.C-0270(A).

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 423, Página 3039
julho 2012

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA