Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

The GAPS programme with HARPS-N at TNG
IV. A planetary system around XO-2S

S. Desidera, A. S. Bonomo, R. Claudi, M. Damasso, K. Biazzo, A. Sozzetti, F. Marzari, S. Benatti, D. Gandolfi, R. Gratton, A. F. Lanza, V. Nascimbeni, G. Andreuzzi, L. Affer, M. Barbieri, L. Bedin, A. Bignamini, M. Bonavita, F. Borsa, P. Calcidese, J. M. Christille, R. Cosentino, E. Covino, M. Esposito, P. Giacobbe, H. Avet, D. W. Latham, M. Lattanzi, G. Leto, G. Lodato, C. Lovis, A. Maggio, L. Malavolta, L. Mancini, A. F. Martinez Fiorenziano, G. Micela, E. Molinari, C. Mordasini, U. Munari, I. Pagano, M. Pedani, F. Pepe, G. Piotto, E. Poretti, M. Rainer, I. Ribas, N. C. Santos, G. Scandariato, R. Silvotti, J. Southworth, R. Zanmar Sanchez

Resumo
We performed an intensive radial velocity monitoring of XO-2S, the wide companion of the transiting planet-host XO-2N, using HARPS-N at TNG in the framework of the GAPS programme. The radial velocity measurements indicate the presence of a new planetary system formed by a planet that is slightly more massive than Jupiter at 0.48 au and a Saturn-mass planet at 0.13 au. Both planetary orbits are moderately eccentric and were found to be dynamically stable. There are also indications of a long-term trend in the radial velocities. This is the first confirmed case of a wide binary whose components both host planets, one of which is transiting, which makes the XO-2 system a unique laboratory for understanding the diversity of planetary systems.

Palavras chave
techniques: radial velocities - planetary systems - stars: individual: XO-2S - stars: individual: XO-2N

Astronomy and Astrophysics
Volume 567, Página L6_1
julho 2014

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA