Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
20 julho 2005

O projecto APEX (Atacama Pathfinder Experiment) deu mais um passo bem sucedido em direcção ao futuro. O seu telescópio de 12 metros foi colocado com sucesso no topo do planalto Chajnantor (Chile), e os resultados obtidos, a partir dos primeiros testes, são de grande qualidade.

O telescópio APEX foi desenhado com o objectivo de trabalhar nos comprimentos de onda próximos do submilimétrico: entre os 0.2 e os 1.5 milímetros. Esta região do espectro electromagnético dará aos astrónomos acesso ao estudo do Universo frio e longínquo.

Porque a radiação sub-milimétrica ao passar pela atmosfera terrestre é absorvida pelo vapor de água, o APEX está a uma altitude de 5.100 metros, no deserto do Atacama, no norte do Chile, 50 km a este da pequena cidade de San Pedro de Atacama. O deserto de Atacama é dos locais mais áridos da Terra, o que torna a observação do céu nesta região, quase perfeita.

Em conjunto com o telescópio japonês de 10 metros ASTE, que se encontra a funcionar na vizinhança do APEX, mas a uma menor altitude, o APEX é o primeiro e maior instrumento submilimétrico a trabalhar nos céus austrais. Através da grande área colectora da sua antena, este equipamento irá proporcionar aos astrónomos uma oportunidade única para realizar observações astronómicas sem precedentes.

A região do milimétrico e submilimétrico em Astronomia abre uma janela para o estudo das primeiras galáxias do Universo e dos processos de formação de estrelas e planetas. O APEX permitirá aos astrónomos, por exemplo, estudar as condições químicas e físicas das nuvens moleculares, isto é, das densas regiões de gás e poeira onde novas estrelas estão a nascer. Para preparar a antena, os engenheiros do projecto APEX ajustaram a superfície do espelho de tal forma que para 12 metros de diâmetro a antena tem um desvio, em relação a uma parábola perfeita, menor do que a 17.000 parte de um milímetro. Isto é cerca de 1/5 da espessura média de um cabelo humano!

O APEX sucede ao Telescópio Submilimétrico Sueco, de 15 metros, o SEST, que funcionou em La Silla (Chile) de 1987 a 2003, como projecto de colaboração entre o ESO e o Observatório Espacial de Onsola. Durante muitos anos o SEST foi o único instrumento do seu género a funcionar no hemisfério Sul.

Embora neste monento o APEX funcione como estrutura única, ele é na realidade uma antena protótipo do projecto ALMA, e encontra-se exactamente no local onde, até ao final da década, será construído o observatório ALMA. O ALMA será composto por uma série de antenas de 12 metros, que poderão ser colocadas diferentes posições no topo do planalto, e atingir distâncias entre elas até aos 14 quilómetros.

Informações adicionais
http://www.eso.org/outreach/press-rel/pr-2005/pr-18-05.html

1. O Telescópio APEX no planalto de Chajnantor (©ESO) 2. O planalto Chajnantor (©ESO)