Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+
30 dezembro 2008

Quando estiver a fazer a contagem decrescente a caminho de 2009, não se esqueça de contar mais 1 segundo. Este segundo adicional, será acrescentado ao último dia do ano, para igualar os relógios ao movimento de rotação da Terra.

O Observatório Naval Norte-Americano, que é o organismo responsável pela manutenção do principal relógio do Pentágono, irá acrescentar este segundo extra, em coordenação com outros relógios atómicos do mundo, na próxima quarta-feira, dia 31 de Dezembro, pelas 23 horas, 59 minutos e 59 segundos do Tempo Universal Coordenado ou UTC.

Isto corresponde exactamente às nossas 23 horas, 59 minutos e 59 segundos, pois durante o período “hora de Inverno” a hora legal em Portugal Continental e na Região Autónoma da Madeira, coincide com o UTC. Já nos Açores, a hora legal corresponde a UTC - 1 hora, pelo que o segundo extra será acrescentado quando nos Açores forem 22 horas, 59 minutos e 59 segundos. O relógio principal do Observatório Naval Norte-Americano baseia-se num sistema que inclui 50 relógios atómico: 36 baseiam o seu funcionamento no césio, enquanto que os outros 14 se baseiam em masers de hidrogénio.

Este será o 24º segundo acrescentado ao UTC desde 1972, ano em que foi introduzido este sistema, cujo objectivo é manter coordenadas as escalas de tempo física e astronómica. O primeiro segundo “extra” foi introduzido ao UTC a 30 de Junho de 1972, e o último foi adicionado a 31 de Dezembro de 2005.

O UTC é a escala de tempo que é mantida pelos mais precisos relógios atómicos do mundo. A sua precisão vai até o bilionésimo do segundo por dia. A decisão de acrescentar ou remover 1 segundo ao “tempo” dos relógios é da responsabilidade do International Earth Rotation and Reference Systems Service (IERS), cuja competência é monitorizar a rotação da Terra. O objectivo deste serviço é garantir que os relógios nunca variem a mais de 0,9 segundos do tempo de uma rotação do nosso planeta. Serviços como os que gerem os protocolos de contagem de tempo usados na internet, o sistema de posicionamento global via satélite (GPS) ou outros usados pelos sistemas de gestão financeira e económica, dependem de contagens de tempo precisas, por isso esta manutenção e controle é essencial.

A acção das marés é um dos factores que contribui para uma rotação mais lenta do nosso planeta. O gelo, ou melhor, a falta deste nas calotes polares, o vento solar, a poeira espacial e as tempestades magnéticas também são factores que influenciam a rotação da Terra, afirma o U.S. Commerce Department’s National Institute of Standards and Technology.

Um outro exemplo de “acerto” temporal é o dia 29 de Fevereiro, que aparece nos calendários a cada 4 anos. É necessário acrescentar este dia ao calendário pois uma translação da Terra em torno do Sol não leva exactamente 365 dias, mas sim 365 dias e cerca de 6 horas.

Por causa deste gradual atraso da rotação da Terra - aumento da duração do dia - a introdução periódica de segundos “extra”, na escala atómica de contagem do tempo, é necessária pois só assim é possível manter iguais os sistemas natural (astronómico) e o tecnológico. Por isso, não se esqueça da sequência:


:: 31 Dez 2008: 23 Horas 59 Minutos 59 Segundos ::
:: 31 Dez 2008: 23 Horas 59 Minutos 60 Segundos ::
:: 1 Jan 2009: 00 Horas 00 Minutos 00 Segundos ::
2. A Terra e o seu eixo de rotação. (©NASA - Reto Stöckli & CAUP - Ricardo Reis) 1. Relógio atómico NIST F-1. (©NIST Public Affairs)