Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+

The CoRoT Evolution and Seismic Tools Activity - Goals and Tasks

Y. Lebreton, M. J. P. F. G. Monteiro, J. Montalbán, A. Moya Bedón, A. Baglin, J. Christensen-Dalsgaard, M.-J. Goupil, E. Michel, J. Provost, I. W. Roxburgh, R. Scuflaire, ESTA TEAM

Resumo
The forthcoming data expected from space missions such as CoRoT require the capacity of the available tools to provide accurate models whose numerical precision is  well above the expected observational errors. In order to secure that these tools meet the specifications, a team has been established to test and, when necessary, to improve the codes available in the community. The CoRoT evolution and seismic tool activity (ESTA) has been set up with this mission.
Several groups have been involved. The present paper describes the motivation and the organisation of this activity, providing the context and the basis for the presentation of  the results that have been achieved so far. This is not a finished task as future even better data will continue to demand more precise and complete tools for asteroseismology.

Astrophysics and Space Science
Volume 316, Página 1
abril 2008

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA