Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube Siga-nos no Google+

TMCalc - a fast code to derive Teff and [Fe/H] for FGK stars

S. G. Sousa, N. C. Santos, G. Israelian

Resumo
We present a new direct spectroscopic calibration for a fast estimation of the stellar metallicity [Fe/H]. This calibration was computed using a large sample of 451 solar-type stars for which we have precise spectroscopic parameters derived from high quality spectra. The new [Fe/H] calibration is based on weak Fe I lines, which are expected to be less dependent on surface gravity and microturbulence, and require only a pre-determination of the effective temperature. This temperature can be obtained using a previously presented line-ratio calibration. We also present a simple code that uses the calibrations and procedures presented in these works to obtain both the effective temperature and the [Fe/H] estimate. The code, written in C, is freely available for the community and may be used as an extension of the ARES code. We test these calibrations for 582 independent FGK stars. We show that the code can be used as a precise and fast indicator of the spectroscopic temperature and metallicity for dwarf FKG stars with effective temperatures ranging from 4500 K to 6500 K and with [Fe/H] ranging from –0.8 dex to 0.4 dex.

Palavras chave
stars: fundamental parameters – stars: abundances – stars: statistics – methods: data analysis – techniques: spectroscopic

Notas
Based on observations collected at La Silla Observatory, ESO, Chile, with the HARPS spectrograph at the 3.6-m telescope (072.C-0488(E)).
The code is available for download at http://www.astro.up.pt/~sousasag/TMCalc.

Astronomy and Astrophysics
Volume 544, Página A122_1
agosto 2012

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA