Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Constraining f (T ,T ) gravity models using type Ia supernovae

D. Sáez Gómez, C. S. Carvalho, F. S. N. Lobo, I. Tereno

Resumo
We present an analysis of an f (T ,T ) extension of the Teleparallel Equivalent of General Relativity, where T denotes the torsion and T denotes the trace of the energy-momentum tensor. This extension includes nonminimal couplings between torsion and matter. In particular, we construct two specific models that recover the usual continuity equation, namely, f (T ,T )=T +g (T ) and f (T ,T )=T ×g (T ). We then constrain the parameters of each model by fitting the predicted distance modulus to that measured from type Ia supernovae and find that both models can reproduce the late-time cosmic acceleration. We also observe that one of the models satisfies well the observational constraints and yields a goodness-of-fit similar to the Λ CDM model, thus demonstrating that f (T ,T ) gravity theory encompasses viable models that can be an alternative to Λ CDM.

Physical Review D
Volume 94
julho 2016

>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA