Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Supernovae and their host galaxies - IV. The distribution of supernovae relative to spiral arms

L. S. Aramyan, A. A. Hakobyan, A. R. Petrosian, V. de Lapparent, E. Bertin, G. A. Mamon, D. Kunth, T. A. Nazaryan, V. Zh. Adibekyan, M. Turatto

Resumo
Using a sample of 215 supernovae (SNe), we analyse their positions relative to the spiral arms of their host galaxies, distinguishing grand-design (GD) spirals from non-GD (NGD) galaxies. We find that: (1) in GD galaxies, an offset exists between the positions of Ia and core-collapse (CC) SNe relative to the peaks of arms, while in NGD galaxies the positions show no such shifts; (2) in GD galaxies, the positions of CC SNe relative to the peaks of arms are correlated with the radial distance from the galaxy nucleus. Inside (outside) the corotation radius, CC SNe are found closer to the inner (outer) edge. No such correlation is observed for SNe in NGD galaxies nor for SNe Ia in either galaxy class; (3) in GD galaxies, SNe Ibc occur closer to the leading edges of the arms than do SNe II, while in NGD galaxies they are more concentrated towards the peaks of arms. In both samples of hosts, the distributions of SNe Ia relative to the arms have broader wings. These observations suggest that shocks in spiral arms of GD galaxies trigger star formation in the leading edges of arms affecting the distributions of CC SNe (known to have short-lived progenitors). The closer locations of SNe Ibc versus SNe II relative to the leading edges of the arms supports the belief that SNe Ibc have more massive progenitors. SNe Ia having less massive and older progenitors, have more time to drift away from the leading edge of the spiral arms.

Palavras chave
supernovae: general, galaxies: kinematics and dynamics, galaxies: spiral, galaxies: stellar content, galaxies: structure

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 459, Página 3130
abril 2016

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA