Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Can our Universe be inhomogeneous on large sub-horizon scales?

P. P. Avelino, J. P. M. de Carvalho, C. J. A. P. Martins, J. C. R. E. Oliveira

Resumo
We show that our Universe may be inhomogeneous on large sub-horizon scales without us being able to realise it. We assume that a network of domain walls permeates the universe dividing it in domains with slightly different vacuum energy densities. We require that the energy scale of the phase transition which produced the domain walls is sufficiently low so that the walls have a negligible effect on structure formation. Nevertheless, the different vacuum densities of different domains will lead to different values of the cosmological parameters ΩΛ0, Ωm0 and h, in each patch thus affecting the growth of cosmological perturbations at recent times. Hence, if our local patch of the universe (with uniform vacuum density) is big enough — which is likely to happen given that we should have on average about one domain per horizon volume — we might not notice these large-scale inhomogeneities. This happens because in order to see a patch with a different vacuum density one may have to look back at a time when the universe was still very homogeneous.

Physics Letters B
Volume 515, Página 148
agosto 2001

>> PDF>> ADS

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA