Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Understanding the atmospheric structure of T Tauri stars - I. Improved atomic physics applied to IUE data of BP Tauri

D. H. Brooks, V.M. Costa, M. T. V. T. Lago, A. C. Lanzafame

Resumo
Recent advances in modelling the radiating character of dynamic laboratory and astrophysical plasmas are applied here in a new examination of the properties of the atmosphere of the classical T Tauri star BP Tau. We analyse archived International Ultraviolet Explorer (IUE) UV spectra of BP Tau. We adopt a collisional-radiative model and utilize emission measure (EM) and differential emission measure (DEM) techniques to try to constrain the distribution of emitting material in temperature in the atmosphere of this star. We use spectroscopic diagnostic techniques to probe atmospheric parameters such as electron density, and to set constraints on the volume of emission regions. This work is important for understanding the fundamental properties of BP Tau and other T Tauri stars, and for providing a more complete basis for models of their atmospheres.

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 307, Página 895
agosto 1999

>> ADS

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA