Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Multisite observations of the PMS delta Scuti star V351 Ori

V. Ripepi, M. Marconi, S. Bernabei, F. Palla, F. J. G. Pinheiro, D. F. M. Folha, T. D. Oswalt, L. Terranegra, A. Arellano Ferro, X. Jiang, J. M. Alcalá, S. Marinoni, M. J. P. F. G. Monteiro, M. Rudkin, K. J. Johnston

Resumo
We present the results of multisite observations spanning two years on the pre-main-sequence (PMS) star V351 Ori. A total of around 180 hours of observations over 29 nights have been collected, allowing us to measure five different periodicities, most likely related to the delta Scuti variability of V351 Ori. Comparison with the predictions of linear nonadiabatic radial pulsation models put stringent constraints on the stellar parameters and indicate that the distance to V351 Ori is intermediate between the lower limit measured by Hipparcos (210 pc) and that of the Orion Nebula (450 pc). However, radial pulsation models are unable to reproduce all of the observed frequencies with a single choice of (M*, L*, and Teff), suggesting the presence of additional nonradial modes. Based on observations collected at the: Loiano Observatory (Italy), San Pedro Martir Observatory (México), OGS at Teide Observatory (Spain), JKT at Roque de los muchachos Observatory (Spain), Beijing Astronomical Observatory (China), SARA Observatory at Kitt Peak, which is owned and operated by the Southeastern Association for Research in Astronomy. Table ef{jou} in only available in electronic form at http://www.edpsciences.org

Astronomy and Astrophysics
Volume 408, Página 1047
setembro 2003

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA