Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Asteroseismic modelling of the solar-like star β Hydri

G. Doǧan, I. M. Brandão, T. R. Bedding, J. Christensen-Dalsgaard, M. S. Cunha, H. Kjeldsen

Resumo
We present the results of modelling the subgiant star β Hydri using seismic observational constraints. We have computed several grids of stellar evolutionary tracks using the Aarhus STellar Evolution Code (ASTEC, Christensen-Dalsgaard in Astrophys. Space Sci. 316:13, 2008a), with and without helium diffusion and settling. For those models on each track that are located at the observationally determined position of β Hydri in the Hertzsprung-Russell (HR) diagram, we have calculated the oscillation frequencies using the Aarhus adiabatic pulsation package (ADIPLS, Christensen-Dalsgaard in Astrophys. Space Sci. 316:113, 2008b). Applying the near-surface corrections to the calculated frequencies using the empirical law presented by Kjeldsen et al. (Astrophys. J. 683:L175, 2008), we have compared the corrected model frequencies with the observed frequencies of the star. We show that after correcting the frequencies for the near-surface effects, we have a fairly good fit for both l = 0 and l = 2 frequencies. We also have good agreement between the observed and calculated l = 1 mode frequencies, although there is room for improvement in order to fit all the observed mixed modes simultaneously.

Palavras chave
Beta Hydri - Solar-like oscillations

Astrophysics and Space Science
Volume 328, Página 101
julho 2010

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA