Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Extragalactic Fields Optimized for Adaptive Optics

I. Damjanov, R. Abraham, K. Glazebrook, P. McGregor, F. Rigaut, P. McCarthy, J. Brinchmann, J.-C. Cuillandre, Y. Mellier, H. J. McCracken, P. Hudelot, D. Monet

Resumo
In this article we present the coordinates of 67 55' × 55' patches of sky that have the rare combination of both high stellar surface density (≥0.5 arcmin-2 with 13 < R < 16.5 mag) and low extinction (E(B - V)≤0.1). These fields are ideal for adaptive-optics-based follow-up of extragalactic targets. One region of sky, situated near Baade’s Window, contains most of the patches we have identified. Our optimal field, centered at R.A.: 7h24m3s, decl.: -1°27'15", has an additional advantage of being accessible from both hemispheres. We propose a figure of merit for quantifying real-world adaptive optics performance and use this to analyze the performance of multiconjugate adaptive optics in these fields. We also compare our results with those that would be obtained in existing deep fields. In some cases adaptive optics observations undertaken in the fields given in this article would be orders of magnitude more efficient than equivalent observations undertaken in existing deep fields.

Palavras chave
Astronomical Techniques, Astronomical Instrumentation, Astrophysical Data, Galaxies

Publications of the Astronomical Society of the Pacific
Volume 123, Página 348
março 2011

>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA