Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Estimating the p-mode frequencies of the solar twin 18 Scorpii

M. Bazot, T. L. Campante, W. J. Chaplin, H. Carfantan, T. R. Bedding, X. Dumusque, A.-M. Broomhall, P. Petit, S. Théado, V. Van Grootel, T. Arentoft, M. Castro, J. Christensen-Dalsgaard, J. D. do Nascimento Jr., B. Dintrans, H. Kjeldsen, M. J. P. F. G. Monteiro, N. C. Santos, S. G. Sousa, G. Vauclair

Resumo
Solar twins have been a focus of attention for more than a decade, because their structure is extremely close to that of the Sun. Today, thanks to high-precision spectrometers, it is possible to use asteroseismology to probe their interiors. Our goal is to use time series obtained from the HARPS spectrometer to extract the oscillation frequencies of 18 Sco, the brightest solar twin. We used the tools of spectral analysis to estimate these quantities. We estimate 52 frequencies using an MCMC algorithm. After examination of their probability densities and comparison with results from direct MAP optimization, we obtain a minimal set of 21 reliable modes. The identification of each pulsation mode is straightforwardly accomplished by comparing to the well-established solar pulsation modes. We also derived some basic seismic indicators using these values. These results offer a good basis to start a detailed seismic analysis of 18 Sco using stellar models.

Palavras chave
stars: individual: 18 Sco – stars: oscillations – techniques: radial velocities – methods: data analysis

Astronomy and Astrophysics
Volume 544, Página A106_1
agosto 2012

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA