Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Biased cosmological parameter estimation with galaxy cluster counts in the presence of primordial non-Gaussianities

A. M. M. Trindade, P. P. Avelino, P. T. P. Viana

Resumo
The redshift dependence of the abundance of galaxy clusters is very sensitive to the statistical properties of primordial density perturbations. It can thus be used to probe small deviations from Gaussian initial conditions. Such deviations constitute a very important signature of many inflationary scenarios, and are thus expected to provide crucial information on physical processes which took place in the very early Universe.
We have determined the biases which may be introduced in the estimation of cosmological parameters by wrongly assuming the absence of primordial non-Gaussianities. Although we find that the estimation of the present-day dark energy density using cluster counts is not very sensitive to the non-Gaussian properties of the density field, we show that the biases can be considerably larger in the estimation of the dark energy equation of state parameter w and of the amplitude of the primordial density perturbations.
Our results suggest that a significant level of non-Gaussianity at cluster scales may be able to reconcile the constraint on the amplitude of the primordial perturbations obtained using galaxy cluster number counts from the Planck Sunyaev-Zeldovich Catalog with that obtained from the primary cosmic microwave background anisotropies measured by the Planck satellite.

Palavras chave
Cosmological parameters - large-scale structure of Universe

Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
Volume 435, Página 782
outubro 2013

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA