Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Linear prediction of atmospheric wave-fronts for tomographic adaptive optics systems: modelling and robustness assessment

K. Jackson, C. M. Correia, O. Lardière, D. Andersen, C. Bradley

Resumo
We use a theoretical framework to analytically assess temporal prediction error functions on von-Kármán turbulence when a zonal representation of wavefronts is assumed. The linear prediction models analyzed include auto-regressive of an order up to three, bilinear interpolation functions, and a minimum mean square error predictor. This is an extension of the authors’ previously published work Correia et al. [J. Opt. Soc. Am. A 31, 101 (2014)], in which the efficacy of various temporal prediction models was established. Here we examine the tolerance of these algorithms to specific forms of model errors, thus defining the expected change in behavior of the previous results under less ideal conditions. Results show that ±100% wind speed error and ±50deg are tolerable before the best linear predictor delivers poorer performance than the no-prediction case.

Optics Letters
Volume 40, Página 143
janeiro 2015

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA