Mapa do Site
Contactos
Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Canal YouTube
Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Further Constraints on the Optical Transmission Spectrum of HAT-P-1b

M. Montalto, N. Iro, N. C. Santos, S. Desidera, J. H. C. Martins, P. Figueira, R. Alonso

Resumo
We report on novel observations of HAT-P-1 aimed at constraining the optical transmission spectrum of the atmosphere of its transiting hot-Jupiter exoplanet. Ground-based differential spectrophotometry was performed over two transit windows using the DOLORES spectrograph at the Telescopio Nazionale Galileo. Our measurements imply an average planet to star radius ratio equal to Rp/R* = (0.1159 ± 0.0005). This result is consistent with the value obtained from recent near-infrared measurements of this object, but differs from previously reported optical measurements, being lower by around 4.4 exoplanet scale heights. Analyzing the data over five different spectral bins of ~600 Å wide, we observed a single peaked spectrum (3.7 σ level) with a blue cutoff corresponding to the blue edge of the broad absorption wing of sodium and an increased absorption in the region in-between 6180 and 7400 Å. We also infer that the width of the broad absorption wings due to alkali metals is likely narrower than the one implied by solar abundance clear atmospheric models. We interpret the result as evidence that HAT-P-1b has a partially clear atmosphere at optical wavelengths with a more modest contribution from an optical absorber than previously reported.

Palavras chave
planets and satellites: atmospheres, planets and satellites: individual: HAT-P-1b, techniques: spectroscopic

The Astrophysical Journal
Volume 811, Página 55
setembro 2015

>> PDF>> ADS>> DOI

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço é (IA) é uma nova, mas muito aguardada, estrutura de investigação com uma dimensão nacional. Ele concretiza uma visão ousada, mas realizável para o desenvolvimento da Astronomia, Astrofísica e Ciências Espaciais em Portugal, aproveitando ao máximo e realizando plenamente o potencial criado pela participação nacional na Agência Espacial Europeia (ESA) e no Observatório Europeu do Sul (ESO). O IA é o resultado da fusão entre as duas unidades de investigação mais proeminentes no campo em Portugal: o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL). Atualmente, engloba mais de dois terços de todos os investigadores ativos em Ciências Espaciais em Portugal, e é responsável por uma fração ainda maior da produtividade nacional em revistas internacionais ISI na área de Ciências Espaciais. Esta é a área científica com maior fator de impacto relativo (1,65 vezes acima da média internacional) e o campo com o maior número médio de citações por artigo para Portugal.

Continuar no sítio do CAUP|Seguir para o sítio do IA